sexta-feira, 16 de maio de 2014

O que Ayrton Senna realmente pensava sobre Adriane Galisteu

A verdade sobre a "felicidade" de Ayrton Senna com Adriane Galisteu: o que Senna disse a Cristine Ferracciu em março 1994 : "ela não incomoda, não faz perguntas e não enche o saco." Isso é amor? Isso é conveniência. Agora, uma conveniência feliz. Isto é o que o fazia parecer ele "relaxado e feliz".



A parceria entre Galisteu ea revista Caras para a exploração comercial de sua história com Senna

A revista Caras, que no seu começo em 1994 precisava desesperadamente de publicidade com uma forte história - exatamente na época da morte de Senna - colaborou para a idealização conveniente de uma história de sexo e companeirismo entre Senna e Galisteu. 




O boom da revista Caras no Brasil ocorreu quando eles se tornaram parceiros com Adriane para explorar comercialmente sua história com Senna, em entrevistas e um livro, publicado em 1994. 






Adriane Galisteu com o director da revista de fofocas "Caras" eo escritor que escreveu seu livro "Caminho das Borboletas", Nirlando Beirão





Há muitas coisas que aconteceram em 1994, que foram esquecidas e convenientemente modificadas nos meios de comunicação ao longo dos anos, porque só aqueles que permanecem vivos podem contar a história, e da forma mais conveniente para os seus interesses. A única pessoa que se beneficia do fato de reescrever, adornando e criando uma falsa história de amor com Senna, lá onde não hà nenhuma, é Adriane Galisteu. Esse foi o passaporte para a fama: a história romanceada de uma, na realidade, muito mais trivial. Essa história faz Senna parecer um tolo, sem vontade própria e sem discernimento sobre seus próprios sentimentos, contrariando uma entrevista dada para a mesma revista Caras um mês antes de morrer, onde ele afirma: "Eu ainda não encontrei a mulher certa para casar".

Foto: Ayrton Senna e Adriane Galisteu, durante o fim de semana em Angra dos Reis, depois de sua vitória no GP do Brasil, em 1993. Senna no meio de sua operação "sedução" da jovem menina atraente e disponível que lhe serviria como companhia 24 horas / dia nos circuitos da F1 em todo o mundo.



(ENG) The truth about the so much trumpeted "happiness" of Ayrton Senna with Adriane Galisteu : what Senna told Cristine Ferracciu in March 1994 : "She doesn't bother me, doesn't ask questions and doesn't piss me off " Is this love? This seems more of a convenience. A happy convenience, yes. This is what made him look "relaxed and happy".

The only person who benefits from rewriting, constant adorning and creating a fake love story with Senna, there where is none, it's Adriane Galisteu. This was her passport to fame: a fictionalized story of one actually much more trivial. The "Caras" magazine, which in its inception in 1994 desperately needed publicity with a strong story - just at the time of the death of Senna - collaborated for convenient idealization of a story of sex and companionship between Senna and Galisteu. The magazine boomed when it partnered with Adriane to exploit commercially her story with Senna, in interviews and a book published in 1994. There are many things that happened in 1994, that have been forgotten and conveniently modified in the media over the years , because only those who are alive can tell the story, and the most convenient version for their interests. This story makes Senna look like an idiot without own will and without insight into his own feelings, contradicting an interview to the same magazine Caras a month before his death , where he states: "I have not yet met the right woman to marry."

Picture: Ayrton Senna and Adriane Galisteu, during the weekend at Angra dos Reis, after his victory at the Brazilian GP in 1993. Senna in the middle of his operation "seduction" of the young, attractive, available girl who would serve him as companionship 24 hours/day at the circuits of F1 throughout the world.


Fotos inéditas AYRTON SENNA












Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...